Notícias

9 de dezembro de 2019

Veterinários se reencontram pela primeira vez após formatura


Ampliar foto
Parte dos egressos pousados para foto no salão de Eventos I da Universidade

Everton Marques e Rosângela Fressato



A Turma 85/1 do curso de Medicina Veterinária da UNIFENAS organizou o seu primeiro reencontro após 30 anos. Dos 54 egressos que se formaram em 1989, aproximadamente 40 conseguiram viajar de diferentes regiões do país para estarem novamente juntos, no dia 22 de novembro.

A emoção de rever os colegas tomou conta do grupo que matinha contato apenas pelas redes sociais. De volta à Universidade, foram recepcionados pela atual coordenação e colaboradores, alguns na instituição desde a época em que eram estudantes. Seus depoimentos revelaram o quanto estavam contentes em ver que o curso, o primeiro particular do Brasil, prosperou e com excelência comprovada pelo conceito 5, a maior nota concedida pelo MEC.

Com uma Clínica Veterinária na cidade de Carmo do Rio Claro, Maria Assunção Moraes disse estar feliz de ver que o curso conta com uma infraestrutura diferenciada e com Hospital Veterinário. “O que mais me chamou a atenção foi a área de oncologia e também a parte dos animais com doenças infecciosas, que ficam separados. Um diferencial muito grande. Os vários ambulatórios, tudo muito organizado, de fácil acesso”, destacou a egressa.

Hoje em Piracicaba – SP, Roberto de Azevedo Lobão, após formado, ingressou no exército brasileiro, onde atuou como médico veterinário. Já na reserva e como autônomo, possui uma clínica especializada em homeopatia, atende em fazendas de gado de corte e de cavalo. Ao elogiar a Medicina Veterinária da UNIFENAS afirmou: “O ensino que nós tivemos aqui foi espetacular. Graças a esse ensino nós estamos nos dando bem profissionalmente na área de veterinária, com a formação que tivemos aqui! A nossa graduação foi muito forte”.

José Soté da Silva, que na época de faculdade morava no Estado de Rondônia, atualmente reside em Uberlândia-MG e atua na área de bovinocultura de corte. Ele, que conseguiu seu primeiro emprego por indicação de um professor da UNIFENAS, também possui uma empresa que ministra treinamentos na área de bovinocultura de leite e de corte. Em depoimento, fez um paralelo do ensino oferecido na década de 1980 para o que se vê no presente. “Em nossa época era mais difícil. Mas hoje, com toda essa tecnologia, acredito que quem estuda na UNIFENAS sai com uma bagagem ainda maior do que há 30 anos.”

Durante o reencontro da Turma 85/1, a professora Patrícia Paiva Corsetti de Almeida, atual coordenadora do curso de Medicina Veterinária da Universidade, destacou que para a instituição é importante ver que essa “Turma levou tudo que aprendeu aqui para a região onde foi trabalhar e estão muito bem colocados no mercado de trabalho”.