Notícias

25 de maio de 2021

Estudante de Odontologia UNIFENAS é premiado em Congresso


Everton Marques
Ampliar foto
Aluísio Miranda, estudante do 7º período de Odontologia

Aluísio Eustáquio Freitas Miranda Filho tem apenas 20 anos, mas já coleciona participações em congressos científicos. O último deles resultou em premiação na categoria Estomatologia/Patologia/ Radiologia. Graduando do 7º período do curso de Odontologia da UNIFENAS, Aluísio fez o trabalho junto dos coautores, os doutores: Álisson José Martelli, Danyel Elias da Cruz Perez, Denise Maria Silveira, Hercílio Martelli Júnior, Renato Assis Machado e Wilson Medeiros Pereira. O estudo realizado por eles abordou “O Impacto da Covid-19 no Tratamento do Câncer de Cabeça e Pescoço no Brasil”.

O acadêmico Aluísio Miranda Filho explica que abordaram o tratamento do câncer que é o sexto mais comum no mundo e que teve influência na forma de tratamento em 2020, durante a pandemia. “O tratamento do câncer depende do local, do estado clínico e dos critérios histopatológicos. Porém, globalmente, o tratamento primário para o câncer de cabeça e pescoço é a cirurgia e junto a gente pode ter a radiação adjuvante ou a quimioterapia.”

Aluísio continua: “Com a pandemia que estourou no início de 2020 e medidas restritivas implementadas, diminuiu as consultas e as cirurgias não urgentes para câncer de cabeça e pescoço. Quando a gente comparou a quantidade de cirurgias e procedimentos de quimioterapia e radioterapia realizadas no Brasil inteiro nos períodos pré-pandemia e pandemia a gente achou um dado muito interessante.”

“Porque como o procedimento primário para câncer de cabeça e pescoço, de acordo com a literatura científica, é a cirurgia. Porque se ela for realizada até 67 dias após o diagnóstico é possível ter uma porcentagem de sucesso muito grande, mas se não for realizada após 67 dias existe um risco de morte muito maior”, conta Aluísio Miranda.

Ele prossegue seus comentários e afirma que no ano passado, na pandemia, aumentou a quantidade de procedimentos de radioterapia, de quimioterapia e diminuiu a quantidade de cirurgias. Disse também que o estudo mostrou uma mudança de protocolo. “A gente concluiu que isso é preocupante, porque a cirurgia, além de ter mais sucesso, quando é trocada pela radioterapia, quimioterapia tem efeitos significativos secundários, pode causar outras enfermidades também.”

A apresentação e premiação aconteceram, respectivamente, nos dias 15 e 16 de maio, no 34º Congresso Odontológico de Bauru-SP, que é um dos maiores de Odontologia do país. O evento ainda contou com a participação de aproximadamente 700 apresentações de trabalhos.

Para Aluísio Miranda, que é bolsista de Iniciação Científica da UNIFENAS, a premiação é uma “grande honra” ainda mais por ter representado a instituição. E ressalta: “é muito bom quando é reconhecido e mostra que é importante para a comunidade científica.”

E o futuro dentista já têm participação marcada em mais congressos. Entre eles, no próximo mês, o 28º Congresso de Odontopediatria da Associação Internacional de Odontologia Pediátrica.



Por Karoliny Cassimiro

Repórter do Jornal dos Lagos