Notícias

3 de maio de 2019

Estudantes de Medicina comemoram a realização do 1º Comad


Everton Marques
Ampliar foto
Integrantes da comissão organizadora

Persistência, dedicação, coragem. Essas três palavras tornaram possível a realização do 1º Comad (Congresso Acadêmico do Curso de Medicina da UNIFENAS), câmpus de Alfenas. Especialidades Médicas foram expostas em palestras e cursos que ocorreram no bloco da Medicina e no auditório Professor Edson Antônio Velano. Esse evento era um antigo sonho de alunos e professores.

Organizado pelos estudantes do curso de Medicina, o Congresso teve como objetivo aproximar ainda mais o aluno de algumas especialidades. Foram dois dias de palestras (26 e 27 de abril) proferidas por profissionais da UNIFENAS e de outras instituições. “A Medicina é muito ampla. Então, ela exige várias áreas de conhecimento para que a gente possa envolver o corpo humano como um todo e elucidação e diagnóstico. Então, esse Congresso vem para demonstrar justamente a importância das especialidades e também a importância da residência médica, para que estas especialidades sejam concretizadas, sejam possíveis”, disse a acadêmica Gabriele Nayara Vieira Miranda, membro da comissão organizadora

Na conferência de abertura, o Dr. Eduardo Froes, cirurgião e professor da UNIFENAS em Belo Horizonte, ao destacar a “Medicina e Humanidade”, por diversas vezes, disse que, para se ter tolerância e conhecimento, temos que entender que o ser humano é complexo e ambíguo. Ele falou da importância de se abordar este assunto junto aos estudantes de Medicina: “Hoje a gente vive em um mundo que é extremamente tecnológico. E as pessoas às vezes acham que a tecnologia pode substituir o toque humano, pode substituir a conversa, pode substituir o diálogo e não pode, não tem jeito. Na verdade elas podem potencializar, mas nunca substituir.”

A programação do Congresso Acadêmico contou com minicursos específicos da área de saúde. Eles integraram as atividades do pré-congresso, que também contou com 60 apresentações de trabalhos científicos elaborados pelos estudantes, sob a supervisão de professores. Os três melhores trabalhos foram premiados. Gérsica Bitencourt Santos Barros, professora e coordenadora da comissão organizadora, expôs que “pensando em um congresso acadêmico e eles voltaram bastante para o lado científico, além das especialidades médicas, mas também para a apresentação dos trabalhos científicos, notou-se, principalmente durante essa apresentação, que foi hoje o foco do congresso, que os alunos têm esse engrandecimento mesmo. Eles ficaram bastante felizes, bastante satisfeitos com a desenvoltura que eles mesmos conseguiram ter durante o congresso”.

Everton Charles Ferreira dos Santos foi um dos alunos que apresentaram trabalho. Ele relatou como foi a experiência. “Foi bastante gratificante a UNIFENAS proporcionar isso para a gente. Ela, desde os primeiros períodos, incentiva a gente trabalhar como ir para o campo de iniciação científica. Então, para mim foi bastante importante, também para ter um conhecimento e já é o segundo trabalho em que eu estou. Então, ter um congresso aqui, em Alfenas, foi uma ótima experiência.



Evento bem avaliado



Assim como na abertura do Congresso, os discursos de encerramento afirmaram que o Comad ficará registrado na história do curso de Medicina da UNIFENAS, câmpus de Alfenas. “A gente entende que o ensino médico não é só ensinar a medicina em si. As habilidades de organização e de elaboração de eventos também fazem parte da vida do indivíduo. Então, acho que foi muito importante para eles, foi um crescimento para eles terem organizado este congresso”, disse Annie Beatriz de Carvalho, coordenadora do curso de Medicina de Alfenas.

Como última palestrante, Nathália Silva, egressa do curso de Medicina e residente de pediatria no Hospital Universitário Alzira Velano, parabenizou a iniciativa dos acadêmicos e professores que conseguiram tornar o congresso uma realidade. “Superempenhados em trabalho científicos, isso só tem a crescer, a acrescentar para os acadêmicos e para a própria Universidade.”

Karina Macedo Reis, aluna de Medicina e presidente da comissão organizadora, assim finalizou seu relato sobre o evento: “Vi no Comad essa oportunidade de mudar uma realidade do curso, de aumentar a participação dos alunos na produção do conhecimento, de valorizar a nossa Universidade. Ela é tão grande, ela é tão linda! Então, assim, precisa ser mostrada”.