Notícias

28 de junho de 2019

Universidade recebe Farmacêuticos formados há 20 anos


Everton Marques
Ampliar foto
Ao todo eram esperados 45 egressos para a visita, parte deles nesta foto

A “Aula da Saudade”, organizada pela coordenação do curso de Farmácia da UNIFENAS, marcou a visita da Turma 95/1 ao câmpus de Alfenas, no dia 21 de junho. Recepcionados por ex-professores e pela Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários, o reencontro ocorreu após duas décadas de formados.

Vídeos, que enfatizavam os diferentes estereótipos de alunos e docentes, e outros com fotos antigas da Turma na Universidade e depoimentos de professores que já não estão mais na UNIFENAS foram apresentados. Eles geraram sentimentos de alegria, saudade, agradecimento. “A gente tem colegas que vieram de Rondônia, de Vitória, e vimos que eles estão satisfeitos e que valeu a pena”, destacou a egressa Fernanda Leite de Miranda Pacheco, uma das responsáveis por juntar os colegas.

Desde a formatura, em 1999, para muitos deles, este foi o primeiro reencontro. Como destacou Fernanda, que hoje reside em São Paulo, a UNIFENAS fez parte da história das suas vidas e é gratificante constatar que o ensino de qualidade que lhes foi oferecido há 20 anos permanece como meta. “É um curso difícil, mas nós tivemos excelentes professores, foi uma formação excelente, e a satisfação maior é ver que isso está crescendo, está evoluindo”, afirmou a egressa.

“Um bom filho a casa torna”, disse o professor Marcelo Reis Costa, atual coordenador do curso de Farmácia, e que chegou a dar aula para a Turma, no terceiro ano de Universidade. As professoras Alessandra Pupin e a, então coordenadora Marlene Godoy, atual assessora pedagógica da instituição, assim como o Professor Rogério Ramos do Prado, diretor de extensão e assuntos comunitários, participaram da recepção aos egressos.

O Prof. Marcelo enfatizou que estes ex-alunos o marcaram muito, pois foi nesta época que começou a lecionar na UNIFENAS. “São alunos que na minha construção como professor foram muito importantes, porque você acaba, digamos assim, colhendo frutos dos seus acertos e erros.”