Notícias

10 de julho de 2020

Colegas de Ciência da Computação se reencontram virtualmente


Everton Marques
Ampliar foto
Cássio Campos, Fábio Queiroz Barbosa, Enilson Andrade e a professora Flávia Santos em destaque

Era para ser e foi uma “Roda de Conversa” relacionada “As competências do Profissional de TI à Frente do Novo Normal”. Cássio Campos, Enilson Andrade e Fábio Queiroz Barbosa, os três egressos do curso de Ciência da Computação da UNIFENAS, compartilharam suas experiências profissionais vivenciadas no Brasil e na Europa. O detalhe é que este momento também reuniu outros egressos da turma formada em 1999 e a “Roda” tornou-se um reencontro virtual.

A professora Flávia Aparecida Oliveira Santos, coordenadora do curso, conduziu o evento de forma intimista, uma vez que ela mesma é egressa dessa turma que se graduou há 21 anos. Uma das propostas da “Roda” foi mostrar aos alunos, mais ansiosos, que mesmo em um mundo de constantes mudanças, eles encontrarão o seu lugar profissional, a exemplo dos três principais convidados.

Atualmente como Head de Professional Services na AWS (Amazon Web Services) , em São Paulo, Cássio (natural de Raul Soares - MG) foi o primeiro a falar de sua carreira. Ele esteve na IBM por 18 anos, iniciou como desenvolvedor e chegou ao cargo de CTO para a divisão de consultoria de negócios para a América Latina. Como Senior Application Architect na IBM, em São Paulo, Fábio Barbosa (natural de Alfenas - MG) lidera projetos para clientes do setor financeiro. Quando entrou na empresa, o colega Cássio Campos era o seu gerente. O terceiro a participar da “Roda de Conversa” foi Enilson Andrade (natural de Campo Belo - MG). Ele foi para o Reino Unido aperfeiçoar o seu inglês, acabou se estabelecendo por lá como Consultor de TI e hoje é Líder de desenvolvimento num projeto de transformação digital para o governo da Escócia. Ele também trabalhou na IBM com os dois colegas, mas sua opção foi pela consultoria.

Durante o bate-papo, os egressos destacaram a necessidade do aperfeiçoamento constante, por uma questão óbvia, a tecnologia avança rapidamente, assim como o surgimento de novos produtos. Observaram que desde a sua formação o mercado profissional só cresce e exige a demanda de novos profissionais. Apresentaram números que dão conta de que no Brasil hoje existem aproximadamente 250 mil vagas em aberto no setor de Tecnologia da Informação.

Diante de um cenário promissor, a carreira do aluno formado em Ciência da Computação tende a ser crescente e de forma natural, principalmente se o cliente percebe o comprometimento e o valor agregado ao serviço prestado. Mesmo com uma boa formação, na conversa ficou evidente a importância do Network para acelerar o processo de colocação no mercado de trabalho. Mas cuidado, pois ressaltam que a permanência em uma empresa depende das habilidades do contratado. Quanto ao curso da UNIFENAS, afirmaram que este lhes proporcionou um fundamento de desenvolvimento de lógica de programação sólida, assim como a possibilidade de desenvolverem projetos de iniciação cientifica e em iniciativas como a própria Educação a Distância.

A participação de outros egressos, inclusive de turmas diferentes, também enriqueceu a troca de experiências proporcionada pela “Roda de Conversa”. As intervenções mostraram que há um significativo grupo de alunos da UNIFENAS que exercem as suas funções profissionais em uma mesma empresa, assim como é bem diversificado o campo de atuação. Dos participantes, há egressos que abriram a sua própria empresa, que atuam no Conselho Regional de Medicina de São Paulo, em empresas de tecnologia, em instituições bancárias e como professores universitários. Como disse a coordenadora do curso, mesmo os egressos que não trabalham na área são destaque no que fazem.

Descontraída, a conversa contou ainda com apartes de professores, inclusive que ministraram aulas para eles, entre os quais Alexandre Dias, Marly Moreira Dias e Francisco Donizete Vieira Luz.