Notícias

11 de agosto de 2020

Sérgio Faloni um mineiro na Europa


Everton Marques
Ampliar foto
A Live com Faloni pode ser acompanhada no Instagram da UNIFENAS

Ele saiu de Alterosa-MG, cursou Farmácia na UNIFENAS, câmpus de Alfenas, e hoje é professor na Universidade Lusófona, em Lisboa, Portugal. Com a simplicidade mineira de ser, Sérgio Faloni contou suas experiências acadêmicas e profissionais no programa UNIFENAS Conexão Internacional (UCI). Na Live “Da UNIFENAS para o mundo”, transmitida pelo Instagram e mediada pelo jornalista William Passos, o convidado deixou evidente que com ação, desprendida do medo de se enfrentar obstáculos, e com paciência se atinge a realização profissional.

Como poucos, antes mesmo da conclusão do curso de Farmácia em 1999, ele soube abraçar as oportunidades. Aos 16 anos saiu de sua cidade natal e mudou-se para Alfenas–MG, com o objetivo de se preparar para o vestibular. Já na Universidade começou a participar de projetos de iniciação cientifica, uma experiência que nem se quer imaginava que o levaria no futuro a fazer um pós-doutorado na Suécia. Tornou-se pesquisador e docente universitário. “Sem dúvida a UNIFENAS foi essencial ali, naquele momento, por meio do suporte em relação à pesquisa cientifica... Foram 3 anos e meio, durante o meu curso de graduação, que estive envolvido com a pesquisa cientifica.”

Um dos comportamentos adotados por Sérgio em sua vida foi o de não considerar seus projetos limitados, seja pelo pessimismo, seja pelos obstáculos apresentados. Como afirmou, nada é definitivo e não importa de onde você saiu. “Muitas vezes as pessoas dizem: ‘ah, mas estou no interior de Minas Gerais, sou de uma cidade pequena’. Isso não pode te impedir e isso não te impede. Você consegue chegar onde quer”. E completa: “Não estou falando de simplesmente desejar. O desejo sem ação é somente um desejo. Mas quando você pensa e age você consegue realizar”.

Ao se referir às oportunidades, o que considera um clichê nos dias atuais, afirmou que é algo que deve, mesmo assim, ser destacado e mencionou o UCI. “A realização vem também das oportunidades que são dadas. E é isso que vejo como muito importante dentro desse programa UNIFENAS Conexão Internacional. Ele abre portas! Existe um esforço institucional para fazer com que docentes e alunos tenham uma conexão com docentes e alunos de outros países.”

Em seu aparte, Willian destacou que realmente é o apoio institucional da reitoria, das pró-reitorias e da mantenedora da Universidade que permite um olhar para frente. “É um olhar para fora das fronteiras. Uma iniciativa da UNIFENAS que aposta que fará sentido para os alunos e uma importante ponte para eles”, disse o jornalista, com referência à oportunidade de se conhecer melhor o mercado profissional fora do Brasil por meio do UCI.

Por mais de meia hora, Sérgio, hoje com 44 anos de idade, pôde falar do quanto é desafiador e gratificante a pesquisa; da sua dedicação para superar as barreiras que devem ser transpostas para se chegar a um objetivo, e que leva tempo; de não se deixar limitar pelo próprio pensamento; da importância de buscar pessoas de referência que possam lhe auxiliar na trajetória acadêmica e profissional; da sua projeção de um ano de antecedência até que se estabelecesse em Portugal. O egresso soube usar o tempo para inspirar os participantes da Live e discorrer sobre muitos outros pontos. Ao finalizar, disse que o caminho para a realização profissional não é pronto e acabado. É com o caminhar que ele será construído. “Vale a pena os esforços que se faz. A vida é feita de esforços. Mas a caminhada é gratificante.”