Notícias

9 de outubro de 2020

Liga de Odontologia Humanizada é oficializada


Everton Marques
Ampliar foto
Acadêmicos integrantes da primeira diretoria da Laoh

Acadêmicos e professores se uniram para criar a Laoh (Liga de Odontologia Humanizada). Como projeto de extensão ela desenvolverá atividades que ampliam o conhecimento dos estudantes e ações educativas, preventivas e assistenciais que beneficiam a sociedade. O foco desta nova Liga do curso de Odontologia é promover saúde e bem-estar humanizados na comunidade de Alfenas-MG.

O professor Luiz Antônio Sartori e a professora Valdirene Orsi são os coordenadores da Liga, esta presidida pela aluna Anna Julia Cabral Borges. A presidente conta que a Laoh nasceu de um grupo de colegas de curso que lançaram um olhar ainda mais humano e empático direcionado ao paciente. Elas partiram do entendimento de que cada ser humano é único e o acolhimento deve ser confortável para o paciente. “Cada pessoa exige uma atenção diferente, como distrações, reforços positivos, um controle do tom de voz do dentista e mostrar previsibilidade nos seus atos, além de um ambiente estruturado.” Anna Julia acrescenta que o “atendimento humanizado é compreender o paciente como um todo. É deixar a consulta menos mecânica para acolher com cuidado e empatia”.

A Liga, oficializada em 18 de setembro de 2020, conta com o otimismo dos coordenadores. O professor Sartori expôs uma compreensão comum aos integrantes da Laoh, a de que a busca por lucro pode levar a desumanização na relação dentro da área da saúde. Outra questão é a preocupação do emprego da tecnologia que não chega a todas as camadas sociais. “Entendo e percebo uma iniciativa muito significante, a ideia de desenvolver nas pessoas, nos profissionais e, sobretudo, nos estudantes esse conceito da humanização. Penso que essa liga pode contribuir bastante, no sentido de desenvolver uma visão um pouco diferenciada, ou seja, sair daquela questão mercadológica em termos financeiros e quem sabe produzir um grupo diferenciado de profissionais que podem oferecer para a sociedade uma visão mais ética e humana.”

Professora Valdirene pontua que as ligas acadêmicas surgiram no século 20 e desde então cultivam a missão de aprofundar o conhecimento teórico-prático, desenvolver o senso crítico e o raciocínio científico dos integrantes, bem como levar atendimento às comunidades. “Tenho certeza de que estamos no rumo certo, que dará frutos maravilhosos para os nossos alunos, assim como para a comunidade e para nós, profissionais do curso, a elevada satisfação de participar de algo concreto que beneficiará muito. Estou pronta para ver nossos acadêmicos brilharem ainda mais, prestando trabalhos sociais abnegados e com o intuito de fazer o bem e levar o conhecimento.”